Coronavírus: entenda o COVID-19 e outras doenças que impedem o seu embarque

* Publicado: 07/02/2020. Última atualização: 06/03/2020

Já se perguntou se você pode viajar doente? Essa é uma dúvida que aflige várias pessoas – geralmente de última hora, quando contraem alguma doença já próximos do dia de embarcar no avião. 

É claro que não são todas as enfermidades que vão te impedir de viajar, mas é importante que você entenda alguns dos principais casos que demandam uma atenção especial ou que estão sujeitos a cancelar sua viagem. Além disso, o coronavírus tem tomado importância mundial, devido seu foco de epidemia na China, e, caso você tenha uma viagem internacional marcada, é importante se precaver! 

Para te ajudar com tudo isso, montamos esse artigo te explicando mais sobre os cuidados que um viajante deve ter antes de embarcar. Vamos lá? 

Coronavírus: como tem afetado viagens e recomendações gerais 

Uma das maiores epidemias dos últimos tempos, o Coronavírus (COVID-19) é uma infecção que se espalha pelo sistema respiratório e tem causado fatalidades ao redor do mundo. Apesar de existir desde a década de 1960, estamos vivendo uma nova variação do vírus, que tem se mostrado uma patologia mais perigosa para os humanos. 

Origem dos primeiros casos da doença e, hoje, considerado o epicentro da epidemia, a China tem se tornado uma das maiores ameaças para a dispersão do vírus, principalmente sua cidade Wuhan. Já foram identificados casos do coronavírus também em 30 países, incluindo o Brasil.

A China já conta com algumas cidades fechadas para entrada e saída de pessoas e várias medidas de segurança por parte do governo em relação ao cotidiano da população local. Em respeito aos viajantes que estão no país ou têm passado pela China (em conexão, por exemplo), nas últimas semanas, estão sendo implementado alguns procedimentos e restrições. 

Países que têm barrado a entrada de turistas 

Com a situação se complicando, Estados Unidos, Israel, Nova Zelândia, Austrália, Paraguai, Taiti e Angola implementaram restrições para a entrada no país de turistas que estiveram na China nos últimos 14 dias. Algumas cidades da Itália também já apresentam algumas medidas de limitação e prevenção.  

Se esse é o seu caso e você tem uma passagem comprada pela LATAM para um desses países em um futuro próximo, aqui neste link você pode conferir como proceder a respeito da viagem. Caso você tenha estado na China recentemente mas seu voo seja operado por outras companhias aéreas, você deve entrar em contato para saber como proceder. 

Suspensão de marcação de voo

No estado atual da epidemia, pelo menos 22 companhias aéreas já cancelaram seus voos à China continental até o fim de março e os voos específicos para Wuhan estão cancelados por tempo indeterminado. Essa lista inclui grandes nomes do mercado aéreo como Air France, American Airlines, United Airlines, Lufthansa, British Airways, Korean Airlines, Thai AirAsia e China Airlines. 

Em relação às companhias nacionais, a GOL e a AZUL não oferecem voos para a China. A LATAM oferece voos por intermédio de parceiros, e comunicou estar acompanhando os desdobramentos juntamente a eles. 

Com o aumento de número de casos na Europa, outros destinos estão sendo cancelados, principalmente na Itália. Com a grande concentração de casos em Milão, a LATAM já se posicionou de forma a suspender todos os voos partindo de São Paulo para a cidade italiana até o dia 16 de abril. 

Se você já tem voos marcados para visitar a China, entre em contato com a companhia aérea para saber como proceder!

No caso de você já ter uma viagem marcada: como proceder?

  • Voos para a China: a maior parte das companhias estrangeiras estão com a medida de cancelamento gratuito ou de alteração de data da viagem (geralmente até maio/junho) sem multas, mas com a possibilidade de pagamento da diferença de valor da data remarcada. 
  • Voos para a Europa: as companhias ainda não têm um posicionamento rígido sobre as viagens à Europa, por serem diferentes países afetados até então. A Itália tem o maior número de casos até agora e se apresenta como o grande ponto de atenção dentre os demais países do continente, por isso, as companhias nacionais já tomaram medidas. A AZUL está reembolsando integralmente passageiros que têm voo marcado com escala em Porto ou Lisboa, desde que o destino seja a Itália. Já a LATAM, em relação à voos para Milão, tem oferecido opções de remarcação da data de voo sem multas, reembolso completo ou remarcação da origem/destino da viagem (com diferença tarifária). 
  • Hospedagens: algumas hospedagens estão com o mesmo critério de cancelamento sem taxas e/ou reembolso por conta do surto da doença. É interessante que você entre em contato com o local da sua reserva para ter mais informações!

Atenção redobrada nas escalas! Se a sua viagem não é para um dos locais com risco de contaminação, mas a escala do seu voo sim, é importante atenção redobrada. Caso você não consiga mudar o local da escala, permaneça dentro do aeroporto, atente-se a higienização das mãos e evite contato com outras pessoas!

Se você já tem um voo comprado com a MaxMilhas e quer saber como o cornavírus impacta a sua viagem, clique aqui!

Voos com suspeita de passageiro com coronavírus

Em casos de aviões em trânsito no Brasil onde são identificados um ou mais passageiros com suspeita de coronavírus, o procedimento seguido é o seguinte: 

  • A aeronave deve pousar no aeroporto mais próximo, mas o desembarque de passageiros e tripulação não é permitido;
  • O paciente é avaliado por profissionais de medicina e vigilância do município do aeroporto, com o acompanhamento da Anvisa. 
  • Caso o passageiro seja descartado como portador do coronavírus, o desembarque é permitido e os demais passageiros vão ser auxiliados pela companhia aérea sobre a continuação do seu voo;
  • Caso a suspeita seja mantida o passageiro é levado para o ponto de referência local a respeito de tratamento do vírus. Os demais passageiros passam por uma entrevista com os profissionais de vigilância epidemiológica para acompanhamento futuro, em caso de confirmação da pessoa à bordo como portador do coronavírus. Por fim, a Anvisa acompanha e monitora todo o processo de desinfecção da aeronave e do descarte de resíduos e efluentes do voo.

De qualquer forma, é importante lembrar que, o modo como é feita a filtragem e circulação do ar em aeronaves torna difícil para que a maioria dos vírus e microorganismos se espalhem pelo avião. Ainda assim, é importante se precaver e sempre deixar as mãos higienizadas. 

Se você viajou para o exterior e retornou com alguma suspeita: o que fazer?

Se você viajou recentemente para um ou mais países que estão dentre os afetados pelo coronavírus, é importante que você observe possíveis sintomas e saiba o que fazer caso eles surjam. Em casos de febre, tosse ou dificuldade para respirar depois do seu retorno da viagem, procure ajuda médica. Checando os seus sintomas, vão te indicar as melhores medidas. 

Se você teve contato com alguém que retornou de uma viagem num dos países afetados pelo coronavírus, é importante que você também faça uma visita a um posto médico, principalmente se você ou essa pessoa desenvolver algum dos sintomas citados. Uma das medidas sendo tomadas no momento é o isolamento domiciliar, mas isso será determinado apenas por médicos responsáveis. 

Recomendações gerais de viagem a respeito do Coronavírus

A Anvisa tem soltado informações e recomendações preventivas constantemente em relação ao coronavírus para quem vai viajar, está viajando ou está retornando de viagem – você pode acessar o site clicando aqui! 

Uma das medidas mais imediatas é, claro, evitar viagens à China, exceto em situações de extrema necessidade. Além disso, caso esteja com viagem marcada para visitar o exterior, é importante que você fique de olho nas notícias locais para o caso deste se tornar um local de foco do vírus. 

Existem outras doenças que te impedem de viajar? 

Sim! Assim como já falamos, não é qualquer gripe ou mal estar que vai fazer sua passagem ser cancelada: apenas algumas doenças específicas vão te impedir de pegar um avião (ou até mesmo outros tipos de transporte coletivo) para viajar. 

É importante que você saiba que, em caráter de regra geral, todas as doenças classificadas como infecto-contagiosas te impossibilitam de viajar. Isso porque, assim como o próprio nome diz, esse tipo de enfermidade pode ser facilmente transmitida a outras pessoas – e, em um local fechado como um avião, essa chance de contaminação aumenta ainda mais. 

Além de ser um risco aos demais passageiros, embarcar em uma viagem com doenças infecto-contagiosas pode ser perigoso também para a população do seu destino final. Nesse sentido, em busca de prevenir e controlar a disseminação de doenças nacional e internacionalmente, a Organização Mundial da Saúde (OMS), aconselha que não seja permitido o embarque de passageiros contaminados. 

Mas afinal, o que são as doenças infecto-contagiosas? 

Chamamos de doenças infecto-contagiosas aquelas causadas por microorganismos como vírus, bactérias, protozoários ou fungos. Essas doenças podem ser contraídas de diversas formas, que variam de caso a caso: pelo contato direto com o agente infeccioso, por meio de água ou alimentos contaminados, através de vias respiratórias, pelo contato sexual ou por meio de ferimentos. 

Exatamente por conta dessa característica de fácil transmissão, e pensando no bem estar das demais pessoas no voo, é necessário que passageiros que estejam contaminados tenham sua viagem cancelada. Ou seja, nesses casos, você não pode viajar doente!

Alguns exemplos das principais doenças infecto-contagiosas são Hepatite A, B e E, dengue, malária, febre amarela, caxumba, tuberculose, rubéola, sarampo, catapora, ebola, e zica.

A importância da vacina

Mais do que saber se você pode viajar doente, é preciso saber se suas vacinas estão em dia antes de entrar no avião. 

Dizemos isso, pois, além de ser importante para a sua própria saúde, existem alguns destinos que não permitem a entrada de turistas (ou até mesmo residentes do país em retorno) sem a comprovação de algumas vacinas específicas. Geralmente essa exigência acontece quando a pessoa está indo a ou vindo de algum ponto epidêmico, e também entra nessa lógica de se precaver frente à doenças mais severas. 

Nesse sentido, um documento importante, principalmente para quem vai viajar ao exterior, é o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP), que pode ser uma demanda tanto para o seu país de destino final, quanto para o país de escala/conexão do vôo. Para saber se você precisa do CIVP, você pode fazer uma consulta diretamente no site da ANVISA. No caso de residência ou permanência maior em outro país, a informação a respeito de vacinas específicas deve ser comunicada pela embaixada, durante o processo de visto ou permissão de residência. 

Se você quer saber mais sobre quais vacinas deve tomar antes de embarcar para um novo destino, aqui neste artigo a gente te conta. E para mais informações sobre sua saúde como viajante, você pode dar uma lida aqui! 😉 

Deixe um Comentário